03/05/2011 - Terça-feira | A Razão

Caixa eletrônico é arrombado na UFSM

Quantia levada pelos bandidos não foi divulgada pela polícia.
Local foi isolado e passou por perícia

Furto está sendo investigado pelo 4º
Distrito Policial, sob o comando
do delegado Jun Sukekava
A segunda-feira tinha tudo para ser mais um dia normal de trabalho na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), não fosse a ação dos bandidos. Por volta das 7h, um funcionário da Universidade chegou para trabalhar no prédio número 74, e se deparou com vestígios da ação criminosa. Um caixa eletrônico havia sido arrombado e uma quantia não revelada foi levada. A Polícia Civil está investigando o caso.
Os criminosos entraram pelo fundo do prédio do Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH) depois de serrarem uma grade e entrarem pela sala de limpeza. O rastro deixado pela ação dá a entender que quem praticou o crime tenha entrado pelo pátio do Colégio Agrícola, cortado a cerca, e entrado pela janela do prédio para ter acesso ao caixa. O equipamento de alta segurança foi violado com um maçarico, possibilitando o aceso ao dinheiro. Os funcionários da UFSM chamaram a Brigada Militar, que isolou o local e acionou a Polícia Civil. Peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP) realizaram o levantamento do local, para tentar identificar os autores do furto. Dois botijões de gás foram e ferramentas foram apreendidas pela polícia, e serão analisadas.
Um galpão de uma obra que está sendo feita na UFSM também foi arrombado. Do local, os ladrões levaram uma marreta, uma talhadeira, um martelo, uma serra policorte, uma extensão de fio e um pé-de-cabra. Investigadores do 1º Distrito Policial estão cuidando do caso. Segundo o delegado titular do 4º Distrito Policial, Jun Sukekava, os policiais faziam as primeiras diligências na tarde de ontem tentando buscar mais informações sobre o fato. Conforme o delegado, as imagens das câmeras de vigilância do interior da UFSM serão solicitadas e também passarão por análise. “Os policiais estão fazendo as primeiras diligências para tentar apurar a autoria do crime e tentando identificar alguma testemunha”, destacou Jun.